MUSEU DA DANÇA

Primeira escola de bailados oficial brasileira

Quinta, 07 de Junho de 2018 | por Natália Gresenberg |

A primeira escola de bailados oficial brasileira foi criada em 1927 por Maria Olenewa. Russa nascida em Moscou, Olenewa veio se apresentar no país com as companhias de Ana Pavlova e Leonide Massine em 1918 e 1921, respectivamente, das quais era primeira-bailarina.

Imbuída das revoluções promovidas no mundo da dança pelos Balés Russos de Diaghilev e apaixonada pelo Brasil, após uma temporada bem-sucedida em Buenos Aires, estabeleceu-se no Rio de Janeiro em 1926. Fundou a Escola Oficinal de Dança um ano depois, chegando a vender pertences pessoais para conseguir mantê-la em funcionamento.

A Escola Oficinal de Dança foi oficialmente vinculada ao Theatro Municipal do Rio de Janeiro em 1931 e, em 1936, foi criado o Corpo de Baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, confirmando o objetivo da Escola de prosseguir preparando bailarinos profissionais para as temporadas do Theatro. Inúmeros espetáculos bem-sucedidos foram montados, como a remontagem de Les Sylphides e o bailado do terceiro ato da ópera O Guarani.

Em 1943, Olenewa mudou-se para São Paulo, onde foi diretora da Escola Municipal de Bailados do Teatro Municipal. Em 1947, abriu sua própria escola, Curso de Danças Clássicas Maria Olenewa. Fundou também a companhia São Paulo Ballet, que excursionou por toda a costa do Brasil.

Um diagnóstico errado de câncer levou Maria Olenewa a suicidar-se em 1965, aos 69 anos, eternizando-se na história na dança do Brasil e do mundo. Ilustres artistas da dança passaram por suas aulas, formações e/ou direções, como Eros Volúsia, Madeleine Rosay e Klauss Vianna.

A então Escola Oficinal de Dança mudou de nome várias vezes e hoje chama-se Escola Estadual de Dança Maria Olenewa. Atualmente sob a direção de Maria Luisa Noronha, a EEDMO oferece curso profissionalizante com aulas de Ballet clássico, pas-de-deux, repertório clássico, danças características, dança espanhola, ballet moderno, composição e improvisação, história da arte, história da dança, terminologia da dança clássica, educação musical, comportamento e atitude profissional.


Fontes:

PEREIRA, Roberto. A formação do balé brasileiro: nacionalismo e estilização. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2003.

Website do Theatro Municipal do Rio de Janeiro – http://www.theatromunicipal.rj.gov.br/escola.html

Boletins da EEDMO – http://tourenlaireedmo.blogspot.com.br/


Publicado por :



Natália Gresenberg

Gestora cultural e advogada



Deixe seu comentário

Os comentários não representam a opinião do Portal MUD; a responsabilidade é do autor da mensagem.