Dança Sem Fronteiras

CIAS E GRUPOS DE DANÇA

Dança Contemporânea

  • Biografia

Dança sem Fronteiras foi criada em 2010, em São Paulo, pela bailarina, coreógrafa e educadora Fernanda Amaral, em São Paulo. Em 2011 DANÇA SEM FRONTEIRAS participou da série Improvisos no Sesc Pinheiros SP em agosto e dezembro, realizando o espetáculo/improviso de dança com música ao vivo, incluindo pessoas de várias idade

s, habilidades, com e sem deficiência. A cia participou da Virada Cultural e Virada Cultural Inclusiva em 2011,2012 e 2013 nos SESCs Pinheiros, Belenzinho, Osasco, Vila Mariana e Pompeia assim como no MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo) com oficinas de dança e apresentações. Em 2012, DANÇA SEM FRONTEIRAS realizou intervenções urbanas no MAM–SP e participou do programa “Igual Diferente” com oficinas abertas de agosto a dezembro. Em 2013,Dança sem Fronteiras apresentou-se no festival SENCITY no MAM, participou com o espetáculo “Na Mesma Cena” da primeira mostra internacional + SENTIDOS, no Teatro Sérgio Cardoso organizada pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. O espetáculo “Na Mesma Cena” também foi apresentado no simpósio sobre educação inclusiva em Mauá na grande São Paulo e participou da virada cultural de São Paulo. Em 2013 a Cia foi selecionada em um Edital da Prince Claus Fund for Culture and Development (Holanda) com um projeto de residência de um ano em uma escola pública de São Paulo. A Cia também foi contemplada com o Proac de PRODUÇÃO DE ESPETÁCULO INÉDITO E TEMPORADA DE DANÇA para a montagem e primeiras apresentaçãoes do espetáculo “OLHAR DE NEBLINA”. Dança sem Fronteiras participou em São Carlos, do simpósio realizado pelo SESC para atividades físicas adaptadas com uma oficina prática sobre arte e educação inclusivas em 2013 e 2014. Em 2014, apresentou “Conexões”, uma intervenção urbana com 33 participantes bailarinos, atores, músicos entre outros participantes. Estreou o espetáculo OLHAR DE NEBLINA no segundo semestre. A residência da Cia na escola Escola Estadual de Tempo Integral Alfredo Paulino expandiu para envolver mais crianças, professores e funcionários. Pipoca cine com a colaboração da cia criou um documentário sobre a residência e projeto Dança sem Fronteiras na escola Alfredo Paulino. Em 2015, apresentou o espetáculo/intervenção NA MESMA CENA 2015 no MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo) parte do Projeto em Movimento e Acessibilidade organizado pelo Museu da Dança; Olhar de Neblina selecionado pela 6 Mostra Vozes do Corpo e evento no SESC Piracicaba. Cia Dança sem Fronteiras realiza oficinas para crianças com e sem deficiência no MAM e oficinas para terceira idade no SESC Jundiaí. Contemplado pela 19º Edição de Fomento à dança para a cidade de São Paulo. Em 2016, estreou FRESTAS DO OLHAR espetáculo para espaços abertos e durante 2016 e 2017 apresento ou espetáculos em CEUs, parques, realizando 34 apresentações de espetáculos adulto de teatro e de rua, 36 oficinas, 10 JAM para todos, 6 encontros e 2 fóruns; além da publicação do livro Dança sem Fronteiras. Em 2017, lançamento do livro Dança sem Fronteiras e a Cia foi contemplada pelo 23ºFomento à Dança para a cidade de São Paulo. Em 2018, vem realizando o projeto Dança sem Fronteiras e suas Interlocuções com a Cidade e criou o espetáculo Traços e Traçados Urbanos que estreou na Oficina Cultural Oswald de Andrade em abril.

Ficha técnica:

Coordenação Geral: Fernanda Amaral

Intérpretes: Lucineia Felipe dos Santos, Ana Mesquita, Gustav Coubert, Thiago Monteli, Maiara Roquetti e Gabriel Sousa

Produção: MoviCena Produções

Entre em contato