Interlúdio – Poemas para um outro rito de silêncio

por Marcos Sobrinho

espetáculo | Dança Contemporânea

Temporada de estreia – de 19 a 28 de novembro – sexta, sábado e domingo, 20h

Ingressos gratuitos disponibilizados pelo Sympla em www.sympla.com/marcossobrinho


EDITAL PROAC EXPRESSO LEI ALDIR BLANC Nº 48/2020

PRÊMIO POR HISTÓRICO DE REALIZAÇÃO EM DANÇA


O projeto Interlúdio – Poemas para um outro rito de silêncio se propõe a aprofundar a pesquisa cênica iniciada nos processos de criação anteriores, revisitando alguns trabalhos antigos, porém, com ênfase na dramaturgia das performances “Um Poema para Carmen” e “Prelúdio - preâmbulo para um outro rito de carnaval”. Estes estudos coreográficos lançaram um breve olhar sobre a experiência cênica e visual dos seguintes criadores – Carmen Miranda e Arthur Omar (especificamente através dos livros Antropologia da Face Gloriosa e Antes de VER Fotografia, Antropologia e as Portas da Percepção). Nosso desejo continua sendo o de experimentar outro registro de historicidade que trata nosso repertório como acervo de possibilidades - uma ideia que permite pensar memória como construção permanente mais também transitória. Neste sentido, há sempre um interesse em rever o potencial do passado, abrindo caminhos para buscarmos outros lugares de escuta - de afetos - de fala. Corpo-manifesto resistindo, reinventando novos espaços, virtuais ou não, como forma de sobrevivência. Corpo-poema como lugar de reflexão, de recomeço, de reminiscências...

A dramaturgia experimentada nestes últimos anos continua construindo neste pequenas paisagens cênicas onde sujeito, imagem e objeto se fundem cada vez mais, propondo com isso, possibilidades de reflexões sobre a ausência, a pequenez do homem e suas novas condições para se adaptar ao mundo - a esse momento tão delicado em que vivemos com o surgimento dessa pandemia, onde quase todos nós somos obrigados a parar, a olhar pra nós mesmos. São respiros, um descansar da nossa própria individualidade, de nossas zonas de conforto, um grito – um rito para não deixarmos de exercer nossa verdadeira vocação que é existir através da arte.

“As portas desse novo mundo existem. Mas ainda não se abriram. A natureza estranha dessas portas é que talvez elas não possam ser abertas nunca. Não foram feitas para isso, permitir a passagem. Estão ali como um desafio, um fator de luta, e luta eterna. Essa é a fatalidade que se abate no campo da linguagem, quando uma revolução se avizinha. Nunca temos certeza de que ela ocorrerá, porque, não sabendo o que está do outro lado, não podemos formular nada, a não ser tatear. Tatear como pensar” (Antes de VER Fotografia, Antropologia e as Portas da Percepção - Arthur Omar)


FICHA TÉCNICA

Concepção, Direção e Performer: Marcos Sobrinho

Designer Audiovisual: Teo Ponciano

Figurino: Tereza Monteiro

Sensibilização Corporal: Ciça Ohno

Assistente de Câmera e Fotos: Fellipe Oliveira

Produção Geral: MoviCena Produções - Rafael Petri

Agradecimento a todos os artistas que passaram pelo Núcleo de Dança e Performance Marcos Sobrinho:

Pin Nogueira, Luís Ferron, Hernandes de Oliveira, Talita Alcalá Vinagre, Jessé Siqueira, Renato Fagundes, Paulo Henrique Alves, Paula Grinover, Rubia Braga, Ricardo Barreto, Priscila Maia, Josafá Filho, Valquíria Rosa, Sérgio Vila Franca, Luiz Cláudio Sousa, Edson Silva, Rafael Heiss, Franck Oberson, Maurício Gerace e Tatiana Guimarães.

Agradecimento especial a Oficina Cultural Oswald de Andrade - Valdir Rivaben e Marcus Moreno, a Eunice Ermel, Espaço Caminho de Casa e ao Portal MUD - Talita Bretas.

  • De 19/11/2021 até 28/11/2021
  • Domingo: 20:00 - 21:00
  • Sexta-feira: 20:00 - 21:00
  • Sábado: 20:00 - 21:00
  • Entrada gratuita
  • livre
  • Website: http://www.sympla.com/marcossobrinho
  • Local: Online
  • Endereço: Online,
  • Acessibilidade: Não