Ateliê de Criação VI: Superfícies Radicais

por Universidade Estadual de Campinas

mostra | Dança Contemporânea

A partir de provocações artísticas conduzidas pelas professoras Juliana Moraes e Patrícia Noronha - remotamente e apenas com a voz - es alunes desenvolveram, individualmente,  uma pesquisa corporal na relação do contato da pele com superfícies diversas: paredes, mesas, camas, tapetes, bancos, árvores e até telhados. Formando 6 grupos por afinidades estéticas, surgidas nas explorações iniciais, os trabalhos, em suas singularidades, mantêm a intenção de evidenciar o corpo e rasgar a 2ª parede. Afinal, bidimensional é a tela, não o corpo.


Fichas Técnicas: Alunes: Amanda Chavier, Ana Julia Zambianco, Ana Carolina Braga, Beatriz Silvestre, Bibiana Marques, Brissia Dias, Brunna Oliveira, Cássia Natiele S. D. Boschi, Camilla Sant'Ana, Carmem Souza, Gabriela Antunes, Gabriela Vicente, Giovanna Baliviera, Giovana Luppi, Gustavo Vieira, Juana Maria Dambros, Júlia Martins, Luana Cardoso, Marina Dantas, Murilo Augusto, Olívia Blanc, Raphaela Carnaúba e Yasmin Chung

Em seu 6° semestre de graduação em Dança, a turma de ingresso em 2018 completa sua última disciplina de Ateliê de Criação, fechando este primeiro ciclo e iniciando seus passos finais para os processos de Trabalho de Conclusão de Curso.


Grupo 1 | Território do Sono | Quatro corpos exploram o território do sono, pesquisando as relações entre colchão e pele, claro e escuro, sonho e pesadelo. Por meio de encontros e contrastes, buscam transformar um momento cotidiano em dança.

Criação e interpretação: Beatriz Silvestre, Brunna Oliveira, Giovana Luppi e Marina Dantas | Orientação de pesquisa: Juliana Moraes e Patrícia Noronha | Assistência de orientação: Helen Marques e Ana Carolina Yamamoto | Edição de vídeo: Giovana Luppi

Grupo 2 | Cotidiano que há dentro, adentro | Essa pesquisa corporal buscou ultrapassar o plano 2D, investigando o corpo tridimensional relacionado à câmera em quatro superfícies cotidianas. Os gestos marcam esse cotidiano que adentramos e que contém em si inúmeras possibilidades e abstrações. Essa videodança foi criada em plano sequência, tendo como estratégia de estudo a prática como pesquisa. Desse estudo surgiu o corpo que questiona seus limites e fronteiras e transcende as noções de dentro e fora, longe e perto, através da conexão entre espaços, corpos e coisas. Apesar de diferentes e distantes, estão juntas em um único instante presente.

Criação e interpretação: Luana Cardoso, Júlia Martins, Cássia Durães, Bibiana Marques | Orientação de pesquisa: Juliana Moraes e Patrícia Noronha | Assistência de orientação: Helen Marques e Ana Carolina Yamamoto | Edição de vídeo: Júlia Martins

Grupo 3 | @superficial | Entre o elegante e o pífio, o são e o paranoico, movimentos emergem das superfícies cotidianas e são apropriados por corpos em confinamento. Corpos que, em meio a exaustão pandêmica, habitam-se, desabitam-se e se encontram em suas singularidades.

Criação e interpretação: Gabriela Vicente, Giovanna Baliviera, Raphaela Carnaúba, Yasmin Chung | Orientação de pesquisa: Juliana Moraes e Patrícia Noronha | Assistência de orientação: Helen Marques e Ana Carolina Yamamoto | Edição de vídeo: Raphaela Carnaúba

Grupo 4 | Mergulho | O trabalho brinca com o que é e com o que poderia ser. Parte de uma pesquisa tátil de superfícies em espaços a céu aberto e de uma pesquisa estética sobre mundos que aparecem e desaparecem. Escapa. Para fazê-lo, nos lambuzamos e suspendemos os pés do chão. Também devemos fechar os olhos, mas só um pouco, para inventar uma superfície na qual se possa mergulhar. E então, nadar de olhos bem abertos. Se você quiser fazer esse trabalho, te contaremos que talvez comece a chover.

Criação, interpretação e edição de vídeo: Juana Maria, Gabriela Antunes, Olívia Blanc, Morilu Augusto | Orientação de pesquisa: Juliana Moraes e Patrícia Noronha | Assistência de orientação: Helen Marques e Ana Carolina Yamamoto

Grupo 5 | Vigia | Um mesmo espaço, observado de distintos ângulos, mostra movimentos singulares que contrastam com a unificação de cores e lugares. Como diferentes corpos se expressam com a sensação de estarem sozinhos e o que um olhar à espreita é capaz de realmente captar. 

Criação e interpretação: Amanda Chavier, Ana Julia Zambianco e Brissia Dias | Orientação de pesquisa: Juliana Moraes e Patrícia Noronha | Assistência de orientação: Helen Marques e Ana Carolina Yamamoto | Edição de vídeo: Ana Julia Zambianco

Grupo 6 | 3kg: questão de perspectiva | De ponta cabeça, cabeça no armário, armário no pé. Pé na mesa, mesa no teto, armário no chão. O chão onde está?! Corpo caindo, pernas voando. Nosso cérebro é programado para ser eficiente, não fiel - a perspectiva transcende as camadas e se familiariza, literal e metaforicamente, com o atual caos.

Criação, interpretação e edição de vídeo: Ana Carolina Braga, Carmem Andres Souza, Camilla Sant'Ana e Gustavo Vieira | Orientação de pesquisa: Juliana Moraes e Patrícia Noronha | Assistência de orientação: Helen Marques e Ana Carolina Yamamoto


Orientadoras

Juliana Moraes - Professora do DACO/UNICAMP. Doutora e Bacharel em dança pela UNICAMP. Mestre pelo Trinity Laban (Londres). Recebeu prêmios e bolsas como APCA, Cultura Inglesa Festival, Fomento à Dança de SP, Fundação Vitae e UNESCO Aschberg. 

Patrícia Noronha - Artista/Pesquisadora da Dança e do Teatro. Encenadora, coreógrafa, dançarina. Doutora em Artes Cênicas pela ECA-USP. Professora e Pesquisadora do Instituto de Artes, Curso de Dança - UNICAMP. Professora e Pesquisadora do do Departamento de Artes Cênicas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo CAC/ECA/USP de 1996 a 2013. Principais Prêmios: EnCena Brasil, APCA, Mambembe, FUNARTE, Flávio Rangel, Premio de La Critica Festival Internacional de Teatro de La Habana - Cuba, Bolsa Vitae de Artes, PAC 04, PAC 21, Fomento à Dança - São Paulo. Indicações aos Prêmios: Shell e APETESP.


Entre em contato