Ocupação Decopulagem

por Pequena Via Produções

espetáculo | Contato Improvisação, Dança Contemporânea, Dança Butô e Dança Teatro

Música e Poesia vão saltar e rodopiar pelo Teatro Cacilda Becker, no Largo do Machado, conduzidas pela Dança. Esse encontro de linguagens artísticas - que tem como eixo de investigação a Dança - é o que norteia a Ocupação Decopulagem, fruto do processo de criação da bailarina Aline Bernardi. A programação cultural tem apoio institucional da Fundação Nacional de Artes (Funarte), vinculada ao Ministério da Cidadania. De 20 a 24 de março, a Ocupação terá o pré-lançamento de um livro, a estreia nacional de um solo de dança, sarau poético e oficinas a preços acessíveis. Decopulagem é o nome que batiza o processo de investigação de Aline Bernardi, mestranda em Dança pela UFRJ. A ocupação Decopulagem é resultado de seis anos de pesquisa, e tem como intuito questionar os sintomas de uma sociedade marcada pelo hiper-estímulo e investigar a palavra (escrita ou falada) num campo de afetação com o corpo que dança. São muitas as perguntas que nutrem essa jornada. Como o corpo em movimento afeta o campo poético da palavra? O que acontece quando o corpo pede para pausar? Qual é o tempo necessário que o corpo precisa vivenciar para deixar o gesto dançado nascer da palavra poética? - Nosso desejo é abrir brechas e fissuras de conectividades entre o corpo e a palavra. Vivemos um padrão de produção do conhecimento que tende a pré-determinar a organização corporal. Queremos expandir a percepção dos modos do corpo enquanto pulsação poética. E isso implica investir tempo numa relação de proximidade com os ritmos do corpo, por isso nossa necessidade de diálogo com a música – pontua Aline Bernardi. Essa investigação se desdobra em três apresentações cênicas na programação: sarau com músicos e bailarinos, show em trio e solo de dança. Outro destaque é o pré-lançamento do livro Decopulagem, coletânea de prosas poéticas escritas por Aline em “estado de dança”. A música tem um papel importante em toda a concepção da Ocupação. Renato Frazão, diretor musical e compositor da trilha sonora original do solo, e outros músicos parceiros que assinam depoimentos do livro, fazem parte do sarau poético. Para completar a agenda, haverá oficinas, laboratórios artísticos e rodas de conversas entre músicos, escritores, cineastas e bailarinos.

O livro Decopulagem O pré-lançamento está marcado para duas datas: sábado (23) e domingo (24). Composto por 33 prosas poéticas, o livro Decopulagem foi escrito por Bernardi enquanto dançava. Gestos, movimentos e palavras se afetam mutuamente, criando diferentes ritmos de escrita, construções textuais imprevisíveis e instigantes imagens poéticas. Será apresentada ao público a boneca da tiragem especial, o “livro-obra”, que tem capa de argila e toda a concepção gráfica pensada em torno do conceito de artesania. O prefácio da obra é assinado por Hélia Borges, professora da Faculdade Angel Vianna e um dos nomes atuais mais importantes do pensamento filosófico em artes do corpo. Em seu texto, descreve: “Aline, em seus escritos, nos conduz para um corpo alerta e acordado, um agir, um campo de germinações, de maquinações como expressão do campo imanente que é a vida. Sua leitura nos coloca no mundo”. O livro se divide em três títeres, que conduzem a criação - Andarilho, Artesão e Alfaiate. O Andarilho é aquele que dialoga com os diferentes lugares percorridos. Sejam grandes metrópoles, cidades pequenas e interioranas ou pontos de natureza, de uma grande capital europeia a uma ecovila no interior de Minas Gerais. O Artesão interage com artistas, as obras e as ideias que marcam ou marcaram a trajetória de Bernardi como performer e bailarina. O títere Alfaiate pratica a interlocução com a maternidade, tanto na geração de uma vida dentro de um ventre materno, como na gestação de processos artísticos. Nove mães foram escolhidas e convidadas por Aline, que assume o papel de doula de histórias. Essas personagens se juntam para um bate-papo na sexta (22). Decopulagem - Solo de Dança A estreia nacional do Solo está marcada para sábado (23) e domingo (24). A performance tem apenas Bernardi no palco, e foi criada a partir das prosas poéticas escritas com o corpo em movimento. É a prova de que a dança e a construção poética em Decopulagem se retroalimentam. Para Guilherme Frederico, diretor da performance, as dramaturgias coreográfica e musical estão intimamente ligadas e são os fios condutores da concepção da obra. - As prosas poéticas do livro da Aline são um universo riquíssimo. Elas surgem através de suas lembranças e vivências, mas se revelam por um trabalho único, desenvolvido pela Aline, onde a escrita não surge exclusivamente de um comando do cérebro para as mãos, mas sim de todo o corpo em movimento. Nesse mais de um ano de pesquisa, a fluidez das prosas e as imagens instigantes que surgem nelas foram muito importantes para a dramaturgia do solo – avalia Guilherme. Decopulagem e a música Essa ode à artesania e a busca por uma brasilidade de raízes profundas conecta o Decopulagem com a música de Renato Frazão, que é o compositor da trilha sonora original do solo. Sua presença constante nos ensaios evidencia a costura da dramaturgia musical e gestual. Outros dois músicos parceiros e colaboradores assíduos do projeto assinam depoimentos do livro. Um deles é Thiago Amud, que se projeta como um dos maiores nomes da composição na MPB atual, parceiro de mestres como Francis Hime e Guinga. Mais um deles é Pedro Sá Moraes, compositor que reúne elogios da crítica nacional e estrangeira, com participação em festivais como South by Southwest, no Texas. Frazão, Amud e Moraes se unem a outros talentos da música, todos parceiros do Decopulagem, para um sarau poético, na quinta (21). A apresentação reúne também Mauro Aguiar, Luiza Borges, Leandro Floresta, Bethi Albano, Luiza Lacerda, Tássio Ramos, Marcelo Fedrá, Aline Paes e Camila Caputti. Decopular e dialogar “Sinto em Decopulagem uma ideia de gestação, de um processo que leva ao surgimento de novas relações, novos sentidos, novos afetos”, revela-nos o diretor do solo, Guilherme Frederico. Por isso, as conversas entre os parceiros do Decopulagem não poderiam estar de fora da programação. No sábado (23), antes do pré-lançamento do livro, a pesquisadora de Estudos Contemporâneos das Artes Daniela Avellar dá o seu depoimento sobre o contato que teve com a pesquisa de Aline Bernardi. “Mais do que improvisar e provocar contato, as agitações provocadas por suas propostas, fazem atritar afetos que podem misturar-se uns aos outros, como em um processo de contágio”, aponta a pesquisadora, refletindo sobre os ecos desse trabalho nas relações estabelecidas no mundo atual. No domingo (24), também antes do pré-lançamento, os músicos Thiago Amud, Pedro Sá Moraes e o cineasta Joel Pizzini falam sobre a música e o universo poético de Decopulagem. Os três assinam depoimentos no livro. "caminhar, caminhar, caminhar. experimentos de composição. manejo de um mesmo terreno com pequenas diferenças de intenções. como saber o que está se fazendo quando estamos imersos na experimentação? descobrindo, inventando e permitindo a inscrição no maremoto de mudanças lúdicas. improvisar é fazer escolhas com o engajamento dos olhos." trecho da prosa poética [sobre maremotos, convívios e engajamentos] PROGRAMAÇÃO COMPLETA – 20 a 24 de março de 2019 Todas as atividades serão no Teatro Cacilda Becker Endereço: Rua do Catete 338 – Catete – Telefone: (21) 2265-9933 * As apresentações abertas ao público estão marcadas em negrito, e com o valor dos ingressos descrito. * Para informações e inscrições nas oficinas, mandar email para decopulagem@gmail.com . Quarta Feira – 20 de março: 14h às 16h: Oficina de Máscaras Recicláveis com Clarice Rito (para crianças, adolescentes, pais, mães, adolescentes, adultos e idosos) 16h às 18h: Oficina de Contato Improvisação com Paulo Mantuano 18h às 20h30: Jam de Cordas com o músico Leandro Floresta Ingressos: R$ 30 Quinta Feira – 21 de março: 14h às 16h: Oficina de Letra de Canção com Mauro Aguiar 16h às 18h: Oficina de Butô com Caio Picarelli 19h às 20h30: Sarau Poético de Dança, Música e Poesia com os bailarinos: Aline Bernardi, Paulo Mantuano, Guto Macedo, Moira Braga, Sandra Bonomini e Jéssica Barbosa e os músicos: Renato Frazão, Mauro Aguiar, Luiza Borges, Thiago Amud, Pedro Sá Moraes, Leandro Floresta, Bethi Albano, Luiza Lacerda, Tássio Ramos, Marcelo Fedrá, Aline Paes e Camila Caputti Ingressos: R$ 20 Sexta Feira – 22 de março: 14h às 17h: Lab Afetações entre o Movimento Autêntico e o Contato Improvisação com Soraya Jorge e Guto Macedo 19h às 20h: Show Decopulagem com Aline Bernardi, Renato Frazão e Luiza Borges Ingressos: R$ 30 20h às 20h40: Conversa com as mães que participaram do Livro Performance Decopulagem Sábado – 23 de março: 14h às 17h: Lab Corpo Voz com Camila Caputti 19h às 20h: Solo Decopulagem com Aline Bernardi Ingressos: R$ 30 20h às 20h40: Depoimento de Daniella Avellar + Conversa com a autora e bailarina Aline Bernardi e o diretor Guilherme Frederico + Pré Lançamento do Livro Performance Decopulagem Domingo – 24 de março: 14h às 17h: Lab Corpo Palavra com Aline Bernardi 19h às 20h: Solo Decopulagem com Aline Bernardi Ingressos: R$ 30 20h às 20h40: Conversa com Thiago Amud, Pedro Sá Moraes e Joel Pizzini (que assinam depoimentos no livro) + Pré Lançamento do Livro Performance Decopulagem

  • De 20/03/2019 até 24/03/2019
  • De R$ 20,00 à R$ 40,00
  • livre
  • Website: http://www.facebook.com/alinebernardi
  • Local: Teatro Cacilda Becker
  • Endereço: Rua do Catete, 338, bairro Catete, Rio de Janeiro-RJ
  • Acessibilidade: Sim